Testei  
12 de novembro de 2012

Quem é branquelo leite aí levanta a mão \o/.

Gente, só quem tem a taxa de melanina zerada entende a tristeza que dá quando você se depara com alguém de pele dourada e reluzente. O grau máximo que conseguia chegar era o “maça caramelada de festa junina”.

Até que alguns anos atrás eu conheci o Australian Gold, e resolvi testar. Estava passando uma temporada na praia e tomei sol com ele por uns 5 dias. Surpreendentemente, apesar de até ficar meio vermelhinho pós sol, no dia seguinte a vermelhidão já havia desaparecido e deixado no lugar um douradinho tímido.

Apesar de tímido, esse dourado durou um bom tempo na minha pele. Fiquei esperando a parte chata, descascar, e também não aconteceu. Opa? O que estava acontecendo?

Acontece que o Australian ajuda no bronzeado, mas não deixa que ele agrida sua pele. A primeira vez que usei, foi o fator 30 e depois de um tempo passei para o 15. Ambos me trouxeram o benefício do bronzeado suave e sem agredir a pele.

Não testei o acelerador ainda, mas encomendei numa promoção desses sites de compra coletiva (esqueci qual kkkk) e assim que chegar eu testo e conto pra vocês, ok?!

Outro ponto super positivo é a textura, ao contrário de muitos bronzeadores, o Australian não tem textura de óleo. Mas sim de um creme bem levinho. O aplicador em spray também auxilia bastante na aplicação.

O preço fica em torno de R$ 55. Fiquem atentos, tem loja por aí vendendo por quase R$100. É um abuso, já que o produto já é distribuído nacionalmente. 

*Esse post não é um publieditorial, recebi o produto da assessoria.